Promoção de ambientes criativos propicia aumento da lucratividade

O Dia Mundial da Criatividade e Inovação é um convite para repensar estruturas e práticas defasadas

Por: Davi Braga - Administradores.com

 

Em 21 de abril, celebra-se o Dia Mundial da Criatividade e Inovação. Dois elementos extremamente importantes para qualquer empresa, especialmente em um contexto onde há uma concorrência crescente e clientes cada vez mais exigentes, além da demanda constante pela adoção de novas tecnologias e automação dos processos. É por meio dessas capacidades que as organizações ampliam conhecimentos e desenvolvem diferenciais competitivos, que possibilitam lançar produtos e serviços, conquistar novos clientes, chegar a mercados diversos, entre outros aspectos. Consequentemente, conseguem aumentar o valor da sua marca e a sua lucratividade.

Primeiramente, é importante desmistificar o termo inovação. Ainda é frequente perceber a sua utilização atrelada à implementação de novas tecnologias, o que, de fato, não é verdade. Inovar, em resumo, é olhar para aquele processo que é executado todos os dias e pensar em como ele pode ser melhorado, de modo a se alcançar uma entrega com mais qualidade, em menos tempo e com menor custo. Isso, sim, é um movimento de inovação. Evidentemente, quando também se pode contar com ferramentas tecnológicas para essa transformação, melhor ainda. A data comemorativa foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) justamente para destacar que criatividade e inovação podem ajudar a encontrar soluções a problemas de áreas como desenvolvimento econômico, social e sustentável.

Diante disso, as corporações ampliam sua busca por profissionais talentosos, ou seja, aqueles que geram resultados perenes para o negócio, que são questionadores e, assim, promovem a mudança do status quo, isto é, da maneira como, tradicionalmente, as coisas são feitas. Para se encaixar nesse perfil, é primordial que a pessoa tenha um consolidado autoconhecimento, entendendo quais as suas principais competências e habilidades (soft skills), assim como o que ainda é necessário aprimorar em relação aos gaps.

Quem quer ser criativo e inovar precisa reunir, principalmente, abertura mental, flexibilidade, adaptação, resiliência e maturidade emocional, pois modificar aquilo que se faz constantemente não é simples nem fácil. Na teoria, funciona muito bem, porém, na prática, costuma causar incômodos. No entanto, quando a tarefa de sempre promover mudanças torna-se uma rotina, o processo fica mais leve e eficiente. É muito importante que o profissional esteja atento a todos esses aspectos, pois aqueles que não inovam estão fadados ao fracasso. No mundo atual – volátil, incerto, complexo e ambíguo –, a única certeza é de que tudo se move e se redireciona o tempo todo. Por isso, ele deve, frequentemente, expandir o conhecimento teórico naquilo em que trabalha e desenvolver as best practices, a fim de garantir embasamento para promover renovações.

Do lado das empresas, as lideranças têm um importante papel na construção de ambientes que estimulem o desenvolvimento da criatividade e da inovação, especialmente com a ampliação da diversidade dentro do espaço corporativo. Significa integrar, cada vez mais, pessoas com ideias, personalidades, culturas e desejos completamente distintos. Dessa forma, é possível montar uma arena propícia, quando bem gerenciada, para traçar constantemente novos caminhos. Evidentemente, isso só ocorrerá se o líder tiver escuta ativa, souber dar voz aos seus liderados e, sobretudo, gerenciar e mediar conflitos. Afinal, com tanta pluralidade presente, especialmente de pensamento, há riscos de atritos entre os colaboradores.

Além disso, as estruturas mais hierarquizadas e autoritárias têm grande dificuldade de inovar. As companhias que se enquadram nessa descrição precisam mudar rapidamente sua cultura, porque, entre outros fatores, isso afeta drasticamente a retenção dos melhores talentos. Ao perceberem que não há espaço para questionar o status quo e promover o novo, esses profissionais buscam organizações que proporcionem o desenvolvimento de projetos mais expressivos e onde possam atuar nessa construção, atrelando as ações aos seus objetivos de vida, propósito e legado.

Portanto, é fundamental que o assunto seja discutido nos Conselhos de Administração ou pelos presidentes das organizações, em função da relevância e por estar totalmente vinculado à Governança Corporativa. As empresas mais estratégicas já entenderam essa magnitude e têm formatado programas de lideranças, para capacitar seus colaboradores por meio de metodologias ágeis e demais ferramentas disponíveis. O intuito é conceber e proporcionar ambientes de criatividade e inovação, que possam potencializar o business e prepará-lo para os próximos tempos.

 

Disponível em: https://administradores.com.br/noticias/promoção-de-ambientes-criativos-propicia-aumento-da-lucratividade Acesso em 22 Abr 2021 

Veja Também

Os 4 setores mais promissores para uso de Inteligência Artificial no Brasil

O que antes era apenas uma tecnologia, se tornou um serviço

PIB tem alta de 1,2% no primeiro trimestre de 2021

Dados são do Sistema de Contas Nacionais Trimestrais do IBGE

Cuidando da saúde mental de seus funcionários pós-Covid

Quando a pandemia chegar ao fim, as empresas deverão examinar suas práticas para garantir o bem-estar ...

Peça o seu Orçamento

Nossa equipe está esperando pelo seu contato......

Clique Aqui